Quinta-feira, Outubro 6Bem-vindo


O REVOLTADO
O IGNORANTE
E OS FALSOS

BEST

O SALÁRIO MÁXIMO


OS CIGANOS

OS SOARES EXECUTAM E OS COSTAS FINANCIAM

APESAR DE ALGUMA IGNORÂNCIA VALE MAIS VOTAR NUM REVOLTADO DO QUE NOS FALSOS

SÓ O REVOLTADO REPRESENTA O POVO PORQUE SÓ QUEM SOFRE É QUE SE REVOLTA?

SABER MAIS »

Como é correcto dizer-se?

O que é um ignorante, a castração química e a prisão perpétua?

O que é um crime?

O que é a prisão?

O que é o tempo?

O que é o passado?

O que é o presente?

O que é o futuro?

O que é a Direita e a Extrema Direita?

O que é o salário mínimo?

O que é o salário máximo?

O que é um ignorante?

É aquela pessoa facilitista ou o atrasado ou o político que não nasceu da terra e nunca a ela desceu, sabe tudo através do que lhe contam porque gosta de ser mercenário, nunca questiona nada ou nunca pergunta porquê ou como aconteceu e só acredita em quem lhe paga ou sustenta.

É quem pensa que sabe só porque leu ou aprendeu pelos outros ou numa instituição fechada, ou que sabe apenas metade ou não bastante, ou que nunca produziu conhecimento, mas nunca se certificou acerca da realidade certa. Aliás é o ignorante que produz a falsidade e esta a ignorância.

Na base da ignorância e da falsidade estão os maiores crimes políticos.

A ignorância produz a falsidade e a falsidade a ignorância.

Mas o apenas ignorante pode retratar-se e mudar o seu saber, assim que saiba da realidade certa e da verdade justa.

Castração Química e Prisão Perpétua?

Estas são as ideias dos mais ignorantes, porque falta aqui o mais importante.

É preciso saber primeiro que o Estado não pode condenar através da sua própria culpa. Ou seja, se o Estado abandonou todas as suas funções para ser uma entidade privada dos políticos e suas famílias (regime socio-comunista), lógicamente que não se preocupa com a educação mas sim com o contrário, porque quer produzir o crime como meio de obter riqueza individual para os seus membros, ao roubar os bens dos perseguidos sob a capa de tribunais que implementam as penhoras falsas, quando a função do Estado ou família global de uma região é educar ab ovo.

A castração química não precisa de existir excepto como estratégia do medo e apenas para cargos de poder psicológico (padres, politicos, professores, instrutores), o que é preciso é sanar a causa, nomeadamente a politica psicologia e a politica da droga e a política mental da medicaão fala ou que induz a acusação e a prisão ao inocente, inventada entre chineses e negros para escravizar a população sob a capa de liberdade. É através da liberdade falsa e da negação da censura como meio de salvaguardar a informação benigna que se criaram ainda mais pedófilos na Igreja, na Política, na escola, no Desporto, etc.

Com uma política psiquiátrica de identificação da intuição as pessoas podem ser identificadas e, através da opinião médica, serem corrigidas. Isso é feito desde logo através de um sistema educativo desde criança e impossível no sistema selvagem das politicas dos barões negros, astutos e ricos mas escondidos sob a capa de fé-pública com apoio dos seus cargos e profissões e pelo ativismo (imputar a culpa para se esconderem).

Quanto à prisão perpétua é outra ignorância derilante, porque a prisão perpétua só pode ser usada como estratégia penal ou prevenção e raramente como aplicação generalista… E só pode ser essa pena ser aplicada para cargos políticos e públicos, e quando haja autoria de crime (falsificação de documento, abuso de poder e corrupção, porque são estes os crimes de autoria de todos os outros).

Ou seja, sem que o Povo seja educado e o Estado dê o exemplo e garantir a igualdade para formar a liberdade de cada um, a população civil não necessita de praticar qualquer crime.

Na realidade é o Estado o autor de 70% dos crimes em Portugal, pois é Ele que os determina, usando os tribunais como rectaguarda do terrorismo e as Cãmaras Municipais para financiar as actividades terroristas através de desvio de fundos para associações e fundações falsas (entidades não formadas pelos membros do objecto social). O Governo Socialista abateu as associações do Povo e dos Jovens e criou milhares de associações falsas, onde o regime do nazismo negro socialista e o desporto negro se financiam.

O que é um crime?

É um conjunto de factos, pelo menos dois, em que só há um autor para todos eles como forma de crime, representando esses factos e o seu autor único, individual ou colectivo, o crime ilegal. Os fatos cometidos contra o autor são os crimes legais porque são realizados pelo receptor ou vítima. Portanto o emissor é o responsável ou autor dos factos praticados pelo receptor, uma vez que segundo a lei o autor é quem determina e realiza o facto por si mesmo ou por intermédio de outrém.

O crime ilegal é o primeiro facto ou primeira ilegalidade de todo o acontecimento que represente um tipo de crime, punível se existir dolo e culpa nas formas de crime (autoria, cumplicidade e comparticipação).

O crime legal ou sem culpa é praticado pelo agente que reage ao primeiro crime, nomeadamente a legitima defesa, o estado de necessidade e a perturbação determinada pelo primeiro crime.

Por isso é que o Estado Português falsificou as leis penais, para poder escolher quem é o arguido e poder acusar e condenar a vitima e o inocente dos crimes cujos autores são as máfias políticas e suas famílias, porque a sociedade é indivisível.

As falsificações das normas?

A falsidade das normas é feita através de normas ideológicas e difundida pela máfia dos jornalistas ou políticos sombra e dos sindicatos, enganando os jovens jornalistas.

A Confissão:

É o sistema político da máfia africana e asiática que controla o território de Portugal através da Presidência e do Governo, para fazer o inocente confessar a autoria dos crimes praticados pelo Estado (pelo cartel terrorista politico que se distribui também pelos tribunais onde foram colocados os comunistas vindos de vários países). Ou seja os tribunais nazis querem que os arguidos afirmem em julgamento que os seus atos são a autoria do crime, uma vez que os atos dos autores são omissos na acusação.

Ora, sendo os tribunais a retaguarda do crime do cartel de famílias políticas dos negros e norte-coreanos sob nacionalidade chinesa, os tribunais são as entidades onde há mais corrupção em todo o Mundo.

Este sistema serve para criar autores falsos e assim condenar as pessoas perseguidas, assaltadas, roubadas ou que a máfia Costa/Santos/Silva/Soares/Lopes não conseguiu matar pelos seus habituais atos simulados, os nazis ou socialistas (simulação de acidente, de rixa, de suicídio, de negligência, de erro, de desconhecimento, etc.).

Para manter o poder através do voto as esquerdas compram uma parte do eleitorado residente e a outra parte são mercenários com identidade falsa e que votam em vários locais através de entidade roubada a quem foi substituído, sendo usado o sistema pluralista para armar a confusão e assim ser impossível de provar.

O artigo 344º do CPP (Confissão dos Factos) é uma norma ideológica formada por uma verdade ideológica, e destina-se a condenar os inocentes, que são as pessoas que denunciam ou se queixam dos crimes da máfia política dos padres, dos negros e dos socialistas e comunistas.

Como funciona a falsificação do artigo 344º do Código de Processo Penal?

Aquilo que se confessa é apenas a autoria do crime e quem o fizer está a provar que reconhece o erro. Portanto, logo que conhecido o crime, o autor tem o direito de se declarar como tal e explicando porquê ao descrever os seus motivos e factos cometidos, e a vitima ou o lesado tem o direito de se declarar como inocente e tem de explicar que foi vitima de um primeiro crime, narrando os factos.

Para que o entendimento do arguido seja manipulado ou constrangido, aquele artigo pretende que se confessem os factos escolhidos pelo Ministério Público. Por isso é que neste artigo não se identificam os factos, que deviam ser apenas os factos da outra parte e não todos os factos em conjunto ou misturados. Ou seja, o arguido apenas pode alegar se os factos da outra parte são ou não falsos e porquê, nunca pode confessar factos contra si acusados e aleatóriamente.

Diz aquele artigo, daí a notória falsidade: “ 1 – No caso de o arguido declarar que pretende confessar os factos que lhe são imputados, o presidente, sob pena de nulidade, pergunta-lhe se o faz de livre vontade e fora de qualquer coação, bem como se se propõe fazer uma confissão integral e sem reservas…“

Ora, na realidade o arguido nunca pode confessar factos aleatoriamente mas apenas confessar se é o “autor dos factos imputados“. Porque o que interessa para a proca da condenação é conhecer se o autor é que se confessa como tal. Ou seja, o que é preciso é saber se os crimes ilegais e legais foram determinados pela sua conduta e motivos, uma vez que o autor é quem pratica o primeiro crime de todo o acontecimento e também os crimes de quem reagir àquele, e porque quem reage a um crime praticando outro crime fá-lo por necessidade ou legitima defesa, e portanto estes atos (os factos praticados por quem reage ao 1º crime) são crimes praticados mas por intermédio de outrem (determinados pelo autor mas praticados pela vitima).

O caso SEABRA e Carlos Castro é um dos exemplos da falsidade dos tribunais e da corrupção. Na realidade Seabra foi condenado apesar de não ser o autor mas a vítima. Todos falam do crime mas ninguém fala do autor e dos seus actos determinantes. E todos dizem que o crime é o acto violento mas não dizem que o acto violento é necessário para por termo ao sofrimento.

Em suma, o crime e os factos nunca se confessam, e muito menos através do arguido apenas porque tem de existir contraditório, e assim ambas as partes têm de confessar os seus atos e identificar-se ou não como autores nos termos da lei e não da manipulação do entendimento.

O queixoso tem de confessar se é o autor dos crimes e o arguido também, e apenas o autor pode ser acusado e condenado. Destarte, o que se confessa, da parte do arguido, é se ele é ou não o autor dos seus próprios atos ou se acha que foi determinado por outrem através do primeiro crime em todo o acontecimento, mesmo que os factos do arguido também representem um tipo de crime mas desta feita sendo um crime praticado legalmente por não ser o autor ou determinante mas o determinado (obrigado a reagir à conduta de outrem).

O que é a prisão?

É o estabelecimento onde o cartel da máfia política esconde os inocentes dos crimes pratricados pelo Estado, para que não possam ser testemunhos dos factos em tempo útil. Só há presos determinados pelas condutas do Estado e da Função pública.

Bastaria transformar as prisões em casas abertas, a quem quiser visitar, e de correcção em certos casos. Mas ao contrário, a máfia dos advogados quer cada vez mais presos para extorquir todos os meios económicos das famílais dos reclusos. Ainda por cima a máfia criou uma falsa associação de reclusos, uma vez que não foi formada pelos membros que resoerentam o objecto social e nem estes estão na assembleia geral. Ou seja esta entidade pretende representar outrem sem que outrem seja os seus corpos sociais e motivos.

Bastaria que a queixa fosse enviada para uma associação civil local e tornada pública online a acusação, e não para as entidades mais perigosas e que são a rectaguarda do crime: O tribunal, a policia e a comunicação-social. Assim seria imposssivel aos magistrados impostores comunistas, colocados pelos barões negros, falsificar a acusação, porque uma acusação é um interesse público, especialmente se alguém tiver a necessidade de a tornar pública online.

O que acontece é o contrário, o Estado português só publica os acórdãos porque a intenção é esconder a manipulação, mostando o final e não o principio, para que não se conheçam os crimes dos membros politicos eleitos e os actos violentos dos funcionários públicos das suas famílias, nomeadamente os impostos forjados e as acusações falsificadas (actualmente aos milhares).

O que é a Direita e a Extrema Direita?

Muitas vezes a definição de algo tem ver com a causa e não com a realidade certa, e há ainda que ter em conta as tipologias da verdade. Numa realidade política, para as esquerdas a Direita significa o Português que é preciso perseguir e escravizar, e Extrema Direita é o Português Bom ou Católico a exterminar, porque são pessoas que denunciam os criminosos dolosos ou esquerda política.

Esquerda ou liberdade em função da capacidade, significa fazer o contrário da Direita, que representa o Estado de Direito. Contudo, nos partidos de direita também há espiões e direitos tortos porque a sociedade é indivisível.

Em Portugal os Soares executam os atentados e são a sua rectaguarda e os Costas estão no poder para financiar a execução, e uns são subpartidos de outros. É assim que tudo funciona, em que a Democracia é a pandemia ou descontrolo total.

A Legalização dos Ciganos?

Apesar de poder ser uma politica boa, para os Ciganos finalmente terem um vida digna, pacífica e sociável com as outras pessoas, e anular a escravatura instalada pelos barões negros da droga, financiados por Cãmaras Municipais, toda a gente está contra esta solução, e só por causa da doença do esquerdismo e do modo de apresentar esta ideia.

De facto a legalização seria um esforço de atribuir direitos e deveres, mas há quem queira apenas ter direitos: Os selvagens ou facilitistas. Porque na realidade há mesmo pessoas más e pessoas boas, o que é preciso é identificar quem precisa de ser educado e de desfazer a cegueira.

OS FUNDAMENTOS DOS IGNORANTES

1… O tempo é um determinado prazo ou a duração de uma coisa ou acontecimento !.. FALSO

O tempo são as coisas porque elas têm uma duração quando passam pelo vazio ou espaço?

A- Olá estás bem, há mais de 4 anos que não te via, parece que foi ontem. Puxa, como o tempo passa depressa!..

B- Olá estás bem, há mais de 4 anos que não te via, parece que foi ontem. Puxa, como passamos depressa pelo espaço!..

NOTA: Ambas as frases estão corretas. Repare que na frase A nós mesmos nos consideramos intuitivamente como o tempo, é como que exista uma relação entre nós e o espaço para se realizar o tempo. Na frase B também acontece o mesmo, ou seja, nesta frase consideramos que nós é que passamos pelo espaço, sendo que sendo uma invariabilidade fixa o espaço não tem tempo, só as coisas que nele passam são o próprio tempo porque têm uma duracção, assim como os acontecimentos na relação relativa entre as coisas. Ou seja, não há nenhuma relação entre nós e o espaço e nem entre o tempo e o espaço mas apenas entre as coisas (as platadormas e as coisas que ali existem e circulam). O que acontece é que as coisas que passam pelo espaço são criações autónomas e que só podem existir numa plataforma e dentro do vazio ou espaço e numa sequência, daí que tenhamos a sensação que há uma relação entre o espaço e as coisas e que isso é que forma o tempo. Mas o tempo não existe para o espaço, só para as coisas, e tudo o que não existe é o espaço ou vazio, e por isso sabemos a quantidade de espaço através do vazio que existe entre as coisas que vemos. Ou seja, só temos a sensação de espaço através da nossa relação com as outras existências, repare que se apenas existisse uma coisa em todo o Universo ou vazio essa coisa nunca teria a noção de espaço e não tendo a noção de espaço teria apenas a noção de tempo.

2… O passado é o que já aconteceu e não sendo possível voltar atrás !.. FALSO

O passado é a sequência de acontecimentos em relatividade (sequência lógica de autorias, reacções e seguintes) desde o infinito antes até ao instante presente (ascendente para futuro) e que por isso já é impossível de controlar ou de modificar.

4… O futuro é o que vai acontecer ou que há-de vir e não sendo possível adivinhar !.. FALSO

O futuro é o depois ou sequência de acontecimentos em relatividade (sequência lógica de autorias, reacções e seguintes) que vai desde o instante presente até ao infinito ascendente, e por isso com alguma concentração podemos saber fácilmente o que vai acontecer brevemente ou daqui a poucos ou muitos anos, através do registo das relatividades iguais ou simplesmente através da análise de cada autoria e respectiva reacção e depois das autorias e reacções sequenciais ou relativas. Em suma todo o futuro pode ser no mínimo previsível e até indubitável em muios casos, basta olhar de cima para os acontecimentos como se estivessemos a observar uma linha alcançável que vai desde o passado, o instante e o futuro (imagine uma linha vermelha seguida de uma linha amarela e depois uma linha verde sem qualquer separação). Se observar essa linha e considerar que ela representa um acontecimento único desde a autoria até ao resultado você pode delinear o mapa psiquiátrico do acontecimento e assim saber o que acontece em casos idênticos ou então prever o que vai acontecer através das únicas hipóteses que possam estar relativamente associadas.

3… O presente é o tempo actual ou o que está a acontecer !.. FALSO

O presente é aquilo que é instante entre o passado e o futuro, ou seja, o presente não existe porque só existe o tempo (aquilo que dura entre o inicio e o fim de uma acção). Ora, o que dura entre o inicio e o fim de uma acção é sempre passado e futuro. Nada decorre excepto o que já decorreu e o que vai decorrer, mas porque a sequência de factos é para nós tão lenta que nos dá a sensação que o presente existe. Para nós o presente pode ser um segundo ou um minuto, o dia-a-dia ou até uma semana por exemplo, mas na realidade certa tudo o que fazemos é passado e o que é seguinte é sempre futuro. Conclui-se que tudo o que não é relativo não existe e por isso se existisse o presente não poderíamos imaginar o futuro, o presente seria tão lento que não podia existir passado e nem futuro relativamente.

5… A prisão é um estabelecimento onde são colocados oa criminosos para proteger a sociedade? FALSO

É o lugar onde os políticos escondem as vítimas da perseguição e as pessoas que os denunciam, em processo ou publicamente. Se não haver poder político e rendimento ilegal ou na sombra não há crimes e por isso não há pobreza e por isso há educação funcional e por isso não há necessidade de prisões porque a sociedade é igual em poderes. A igualdade não invalida o poder político que é necessário para administrar uma comunidade, mas a política só pode servir para um resultado progressista e não para que o exercício de funções elitista ou que seja utilizado como poder criminoso sob a protecção da respectiva elite que se distribui também pela Justiça e Policia.

6… Não quero a prisão perpétua.

2… Quero a prisão perpétua.

3… Os crimes não são todos iguais.

Na realidade certa os crimes são todos iguais porque a sociedade é indivisível, ou seja, tudo o que não é relativo não existe, e por isso não há nenhum crime grave que não seja cometido através de um crime simples, designadamente: Injúria, Difamação, Corrupção, Abuso de Poder, Falsidade. Portanto os crimes simples devem ter à partida a mesma moldura penal dos crimes graves, e apenas a pena atenuada quando nenhum resultado aconteça ou seja menos grave. A moldura penal deve pois partir sempre do mais grave para o menos grave e não o contrário porque seria uma política de promoção à selvajaria com intenção de extermínio do branco. Isto é, não pode haver agravantes posteriores a uma norma mas desagravantes, é precisamente o contrário da atualidade em que a moldura penal começa na menor e parte para a maior, sendo uma das maiores infantilidades ou irresponsabilidade.

OS FUNDAMENTOS DOS FALSOS

1… “Esta economia mata“… “Quero o salário mínimo acima de….”

O salário mínimo é o menor pagamento monetário, definido por lei, que um trabalhador deve receber por seus serviços de forma a combater a pobreza!… FALSO

Catarina Soares Martins, esquece que a economia financeira foi instalada a partir de 1996 com o Partido Socialista no poder e que esta Deputada apoiou até agora. Portanto, Ela fala contra aquilo que é de sua autoria e imputa à Direita aquilo que os sub-partidos comunistas fazem (PS, Bloco e PAN).

Também fala da Banca, dos Rendeiros e da corrupção, mas esquece que tudo isso aconteceu após a subida ao poder pelo PS, depois dos vários atentados terroristas (acidentes e incêndios) contra a Direita e executados pela máfia afro-muçulmana do cartel Costa, Santos, Silva, Soares.

Quanto ao salário mínimo, Catarina Soares continua com a doença do esquerdismo ou falácia, é notória porque o que preciso é o salário máximo e não o salário mínimo, e muito menos a partir de ideias de extermínio mental como resultado.

O salário mínimo é o salário que controla o poder através da ausência do salário máximo.

Esta é umas das maiores falsidades do regime sombra democrático (a esquerda), porque aquilo que não interessa para as máfias é o salário máximo e o que interessa para escolher quem se deve perseguir por acção ou omissão é precisamente o salário mínimo.

O salário máximo retira o poder da máfia política no controlo da Justiça e das Polícia, da contratação mercenários e a perseguição e o assassinato por actos simulados com o objectivo de capturar entidades ou de as transfomar numa educação sombra terrorista ou ativista…. Para que, através do poder financeiro, se possa executar todo o tipo de crimes. Atualmente há milhares de associações fictícias, empresas e artistas a financiar o regime sombra e a extinção da população branca, através de fundos desviados.

Através do salário mínimo se faz a pobreza porque não é exequível alcançar todas as circunstâncias de milhões de assalariados e de empresas, e se vão desviando as funções do rendimento adequado, extinguindo as empresas para passarem para a máfia estrangeira e em determinada áreas, e fazendo o trabalho precário em favor do regime sombra ou nazismo. Em suma, o salário tem de ser relativo mas através da lei do salário máximo.

O rendimento mínimo tem de existir sempre mas não necessariamente através do Estado Social e através de controlo do rendimento, com a moeda eletrónica de 4 cores, de modo a que cada empresa pague apenas o que falta ao cidadão e tendo como limite o salário máximo e nunca o salário mínimo.

Em suma o salario mínimo é a forma política de manter o Povo na dependencia dos políticos, e para que uma determinada comunidade não possa ser livre a pontos de ter poder para se defender da extinção programada.

Com o salário mínimo uma teia ou estado sombra tem vários salários mínimos e o cidadão só tem um, se triver.

2Precisamos dos imigrantes para trabalhar porque falta mão de obra!.. FALSO

Sabia que a migração massiva serve para isolar pessoas em terra estrangeira de forma a não poder ter capacidade de reacção sobre a escravatura, e uma parte é para servir de apoio ao estado sombra ou nazismo negro?

Sabia que quem a migração é uma encomenda de barões negros no exercício de funções políticas e para as suas empresas e dos seus cúmplices, e básicamente acontece desde o século XVI para formar as Senzalas? Não é por acaso que o termo “Senzala” é africano, é que elas foram inventadas pelos negros, assim como a escravatura!..

Sabia que os barões negros usam a nossa bandeira e território para todos os crimes e que imputam a culpa ao branco através dos seus ativistas?

É praticamente impossível escravizar uma população na sua terra durante muito tempo porque o Povo é maior em quantidade e numa revolta não haveria controlo. Por isso é que os barões negros encomendavam escravos para a terra do branco a fim de criar Senzalas, uma vez que ali seriam em menor número e sem apoio da lei por serem estrangeiros e desintegrados.

Esta posição de dizer “Precisamos dos imigrantes para trabalhar porque falta mão de obra!..significa que o partido que a divulga faz parte de uma rede esclavagista, por isso é que precisa de migrantes, já que internamente é inexequível a população ser obrigada a trabalho escravo e além disso não aceitaria trabalhar nas empresas agrícolas exploradas pelos políticos de esquerda (Bloco, Pan e PCP). Ou seja, os partidos políticos que representam a criminalidade organizada e que formata os profissionais políticos para lançar areia contra o Povo, através de verdades ideológicas, é que encomendam migrantes porque só em terra estrangeira eles não podem ter direitos, e muito menos se forem escondidos nas casernas. A política de esquerda é para entender ao contrário do que que é direito, por isso é que se chama esquerda (selvagem). Só quem invoca e encomenda migrantes é que está interessado em mão-de-obra escrava, o que é feito por barões negros instalados na política na terra do branco.

Por outro lado, se alguém lhe perguntasse “porque é que é preciso migrantes para mão-de-obra e crescer financeiramente e não apenas humanamente”, essa ativista cairia em contradição e descobria-se a sua falsidade, porque as suas declarações são verdades ideológicas ou manifestos comunistas ou discurso preparado e não necessidades. Aliás a invenção de necessidades e de políticas que o Povo não precisa e por isso não pediu é uma das políticas dos doentes mentais, embora todo o Povo tenha direito à sua terra e nela a paz, o que é precisamente o contrário das politicas esquerdistas criminosas.

3Os portugueses são exploradores, escravistas e fazem com cada coisa!… FALSO

Ao contrário, seria uma contradição que um Povo educado ou católico fosse criminoso.

Veja a prova neste trabalho de investigação jornalistica, não foram os europeus os autores da escravatura mas sim os árabes e os barões negros.

https://www.dn.pt/cultura/foram-os-arabes-muculmanos-que-comecaram-o-trafico-de-escravos-em-grande-escala-10680721.html

Na realidade certa quem sempre encomenda escravos negros são os barões negros das ideologias selvagens (os agnósticos maus) que usam a nossa bandeira e território para todos os seus crimes e através de ativismo (imputar a culpa ao branco), é apenas a forma de esconder a verdade em face da sua veia selvagem ou mentalidade ainda pouco educada (ideologia comunista ou nazi de que a natureza é que fez os fracos e os fortes e que estes têm o direito sobre aqueles). Chavões como “racismo” são a forma de desviar as atenções porque o racismo não existe, o que existe é o branco que não aceita a cultura astuciosa dos negros e por isso os combate. Por exemplo, o negro que distribui droga diz o seguinte “Eu não obrigo ninguém”, ou seja, o traficante negro acha que ao distribuir “gato por lebre” não está a obrigar através da falsidade ou burla, mas na verdade justa quem oferece tem sempre um motivo ou mau ou bom e no caso da politica comunista ou africana-asiática da droga para exterminar a raça branca é isso mesmo. A droga só existe porque é uma política do Estado Sombra e no exercício de funções e não porque é uma liberdade.

Casos como o Ku Klux Klan são conhecidos, afinal os ataques aos negros nos Estados Unidos eram contra os próprios negros por alguns se aliarem ao branco na ideia da verdade e da educação, por isso é que debaixo do capuz estavam os negros como mandantes e os brancos em cumplicidade. Porque o regime dos agnósticos quer impor a liberdade como meio de direito geral, uma vez que sob esse regime quem tem liberdade são apenas eles, ou seja, os fortes em todos os poderes (físico, politico e financeiro), uma vez que se baseiam na riqueza mas imputada ao branco através do ativismo político. Não é por acaso que eliminam à partida todas as pessoas que denunciam os seus atos, pois temem que a verdade seja conhecida.

Não é por acaso que os negros criam associações falsas ou contra a lei, por exemplo a SOS Racismo, violando todos os artigos 157º a 184º do Código Civil. Os corpos sociais desta associação não representam por assembleia geral os associados ou membros porque eles não existem e muito menos livremente, nem tem estatutos legais e nem ações e nem contas publicadas. Trata-se de uma entidade terrorista sob a capa de fé-pública em que basta ser uma associação para ser imune à lei. Os estatutos não conhecem como a entidade foi criada, teria de ser criada por um grupo de cidadãos e por factos concretos, e não por meras ideias políticas de factos inventados. Uma coisa é o objeto e outra coisa é de onde vem esse objeto. Esta associação não tem fotos das atividades no website e nem dos seus corpos sociais, e nem sequer responde a um email enviado e não tem telefones publicados precisamente porque é uma entidade escondida. Ora, quem não deve ilegalmente não tem razão para temer nada porque as pessoas agem através da verdade, a não ser que os tais ativistas ou propaladores falsos lancem a discórdia.

O nacionalismo branco não existe excepto como direito natural assim como o nacionalismo negro porque tudo o que não é relativo não existe e só tudo o que é relativo é que existe. Só os doentes mentais ou narcisistas acham que só existe o nacionalismo branco.

Bastou os negros se instalarem em todas as instituições e estados internacionais para que a pandemia surgisse, sinónimo de sissomias, que aliás foram detetadas ambas em Março de 2004 na peça “Orutuf Lagutrop”, e que deu origem ao Mapa Judiciário e à Fatura Eletrónica, do XIX Governo Constitucional em Portugal. Cada vez mais são entidades perigosas a OMS, a ONU e a UNICEF, e outras OM… Porque podem ser usadas através de verdades ideológicas e não por fundamentos derivados da experiência do Povo em cada região.

Os negros não têm a mesma experiencia tecnológica do Ocidente e por isso não têm capacidade de avaliar os resultados de qualquer política, aceitam qualquer ideia de facilitismo do Comunismo. Não é por acaso que existe o “Obamacare” para instalar escravatura na saúde, apesar de ser um serviço público. Os seguros de saúde servem para enriquecer uma politica escondida de negócios, como financiamento do terrorismo e do nacionalismo negro, e ao mesmo tempo colocar as pessoas a viver de subsídios para assim se poder negar os postos de trabalho aos brancos pagando para nada fazerem e que são doados aos negros no sentido do extermínio. Os seguros de saúde obrigam a população a perder tempo e a juntar dinheiro para ter acesso à saúde quando a máfia política quer, quando toda a saúde tem de ser imediata.

E não é por acaso que Obama surge depois dos atentados do 11 de Setembro, foram programados pelo Nazismo Negro através de países asiáticos, já que os atentados servem para denegrir o poder atual e posteriormente colocar nesse poder os outros representantes (apenas tudo o que não é relativo é que não existe).

Uma guerra é um conflito programado pelo inimigo de ambos através de ativismo político, que deseja alcançar poder e riqueza nesses territórios através da criação de um conflito entre dois aliados. Não é por acaso que a embaixada da China foi atacada na Guerra que se seguiu aos ataques em Nova Iorque em 2000. Bem sabiam os atacantes à embaixada da China que a culpa era da China (tudo o que não se relaciona não existe).

5… Temos de acabar com as touradas porque é uma violência!…

6… Os incêndios e os acidentes são uma fatalidade!…

OS FUNDAMENTOS DOS SÁBIOS

… Quero acabar com o salário mínimo e implementar o salário máximo.

… Um incêndio onde morrem muitos animais não é maior violência? Então porque é que pretende acabar com as touradas antes dos incêndios? Porque motivo acusa o que é menos grave antes do mais grave? Será que acha que os incêndios são uma fatalidade e não um problema solúvel?

O REVOLTADO O IGNORANTE E OS FALSOS

ANDRÉ VENTURA

RUI RIO

RUI TAVARES

CATARINA SOARES

ANTÓNIO COSTA

Partilhe a informação: POVO INFORMADO JAMAIS SERÁ ESCRAVIZADO.

Deixe uma resposta