Quinta-feira, Outubro 6Bem-vindo

“Mártir”

Mártir, pessoa que sofre uma perseguição política e partidária dos nazis, romanos, democratas ou comunistas, por defender uma causa ou a verdade de um processo ou facto contra a ditadura ou dinastia de famílias de poder, ou que é afastada ou assassinada por ser o escolhido ou é testemunha contra o regime sombra ou para lhe serem roubados os seus bens ou entidades e empresas criadas, de modo a fazerem parte do estado sombra de entidades e associações obscuras de financiamento, branqueamento de capitais e da despesa pública, das eleições e das actividades terroristas relacionadas contra os próprios súbditos para denegrir a imagem dos outros candidatos (ganhar os actos eleitorais através da simulação de factos contra o poder vigente, para que a culpa seja imputada pelo Povo e a Comunicação-social contra o partido actual ou outro candidato).

Exemplo 1: Jorge Floyd, morte encomendada de um negro a mando dos barões negros a um grupo de mercenários policiais.

Exemplo 2: Graffiti na Universidade Católica em Portugal, para escolher alvos e imputar a culpa aos brancos. Foi feito a mando dos barões negros da escravatura relacionados com os partidos comunistas africanos infiltrados em Portugal.

Na realidade certa ou sombra e na verdade não-ideológica o crime é cometido para beneficiar directamente o autor ou perseguir a vítima. Nestes casos os únicos beneficiados directos e não os indirectos seriam sempre os democratas ou esclavagistas, que usam uma parte da população e os seus próprios súbditos como seus escravos e mártires (os ditadores), daí que a prova da realidade está sempre escondida.

No caso dos graffiti nenhuma entidade branca teria interesse em que no seu próprio território ou nas paredes das suas próprias instituições se colocassem insultos racistas (nada teriam a ganhar uma vez que o risco seria sempre maior do que os benefícios, logicamente).

Destartemos o crime é sempre revolucionário e portanto das esquerdas, porque crime não é reagir em legitima defesa como a esquerda defende para manipular o entendimento.

O crime partidário ou político é sempre cometido para obter um benefício elevado e não para simplesmente ser cometido. O crime civil é que é normalmente para obter um benefício pontual, uma vez que não há acesso a meios maiores de manipulação, encomenda e corrupção.

Partilhe a informação: POVO INFORMADO JAMAIS SERÁ ESCRAVIZADO.

Deixe uma resposta