Sexta-feira, Janeiro 27Bem-vindo

Independência

Independência, pessoa, coisa, entidade ou terra que sai da subjugação do seu dono anterior, pode ser positiva ou negativa consoante a qualidade do novo dono ou poder.

Politicamente a palavra é usada como chavão dos barões negros africanos, que inventaram a escravatura falsa e se fazem passar pela bandeira do branco, de modo a esconder a verdade ao Povo quanto ao tráfico de jovens ou de escravos, droga, diamantes e moeda. Com aquele chavão a coisa passa à liberdade ou terra selvagem, onde tem poder a naturalidade, ou seja, o mais forte (eles a elite política negra ou muçulmana agnóstica que se passa por outras religiões e organiza e induz todos os atentados através do exercicio de funções políticas do seu partido político, o poder politico fica separado do Povo e este passa a ser o seu subdito mas sem direitos) e com separação de poderes. Esta separação serve para esconder a responsabilidade, isto é, a não subjugação à verdade excepto o interesse do poder pela força (selvagem) ou terra sem Deus (sem lei e destarte sem direitos, os direitos são simulados para esconder a realidade aos olhos do Povo). Uma entidade independente está fora da lei e da verdade, é dominada por uma ditadura ou imposição de poder e nmormalmente a reactaguarda do crime. Um país independente é sempre dominado por uma elite criminosa e terrorista, fazendo da criminalidade e da escravatura a obtenção de poder, através do controlo por mercenários ou corrupção e em que o crime é um direito do Estado e este tem o direito de escolher o que é um crime e quem pode ser acusado.

A independencia ou a invasão é conquistada por atentados terroristas em sequência (exercicio de funções politicas escondidas para conseguir informação priviligiada e financiamento na despesa pública). Os terroristas induzem a pobreza e as sissomias para obter mais financiamento, ou seja, usam a desgraça que impõe como desculpa para capturar mais moeda, isto é, sob a capa de bem e de fé-pública

As leis são uma simulação para enganar o Povo, porque não têm regulamento interpretativo para afastar a igualdade de tratamento através da igualdade do conhecimento ou da interpretação. A ausência dos regulamentos interpretativos é propositada, de modo a lei poder ser pouco clara ou confusas e assim se poder manipular a interpretação, especialmente as leis penais e cíveis, para os políticos escolherem, por falsidade astuciosa e através da sua rede de magistrados e juízes, quem é o condenado.

A escravatura era inicialmente positiva no sentido da subjugação do selvagem à educação, mas degenerou em escravatura descontrolada, aproveitada pelos agnósticos ou nazis (capturam o interesse das pessoas com menos instrução para instalar um estado sombra através do estado eleito, como por exemplo os ciganos e nos negros, e é por isso que roubam todos os direirtos de autor e matam os cultos e queimam livros para dar lugar aos deles, para que o saber não passe para o Povo). A degeneração acontece sempre em ciclos pois o mal captura as entidades através de actos terroristas simulados e passa a controlar o sentido do bem (esquerdismo ou doença do equerdismo).

Separação de poderes significa pois que, num determinado país, os poderes estão separados, desde logo o poder político e o Povo, através da separação entre o poder legislativo, executivo e judicial. Mas simplesmente, porque a sociedade é indivisível, tais poderes estão separados pelo mesmo conjunto ou circulo político de famílias, e por isso cada um deles empurra a responsabilidade para o outro de forma a cada um deles poder lavar as mãos. Por exemplo, o poder executivo atribui a responsabilidade do crime ao poder judicial, mas, na sombra, quem domina a justiça é a mesma entidade que domina o poder executivo e o poder legislativo uma vez que o legislativo é em suma o poder executivo que sai do mesmo Parlamento.

A independencia e a separação de poderes é a pior ditadura jamais inventada pelo homem, porque é onde se pode esconder qualquer louco ou doente mental no poder político ou educado numa casa ou colégio de seita, que se faz passar por nome insuspeito e respeitado.

Em verdade nenhum políico pode ser candidato ou escolhido sem conhecer a sua longa experiência ou o seu curriculum social, e sem realizar testes de competência, responsabilidade e intuição pela via psiquiátrica.

Partilhe a informação: POVO INFORMADO JAMAIS SERÁ ESCRAVIZADO.