Domingo, Dezembro 4Bem-vindo

SOMOS GOVERNADOS ORA POR PRETOS ORA POR RACISTAS E QUANDO

CHEGA

UM SALAZAR, NATURALMENTE QUE OS SELVAGENS PRETOS, BRANCOS E AMARELOS INDIGNAM-SE.

AS NOVAS TÉCNICAS DO TERRORISMO

COMO FUNCIONA O TRÁFICO DE MIGRANTES E O EXTERMÍNIO DO BRANCO NO OCIDENTE

A TIRANIA COMUNISTA OU NAZISMO NEGRO GLOBAL (NORTE COREANO, CHINÊS, AFRICANO, SUL AMERICANO E ÁRABE)

COMO ELIMINAR O NAZISMO NEGRO O MAIOR DESAFIO DA HUMANIDADE

PORTUGAL É IGUAL AO MUNDO:
BARÕES NEGROS COMUNISTAS CONTROLAM O PODER, A ADVOCACIA E OS TRIBUNAIS, ATRAVÉS DE PARTIDOS E SUB-PARTIDOS, PERSEGUEM E MATAM O BRANCO PARA ROUBAR AS SUAS ACTIVIDADES, COMO DIREITO POLÍTICO E POR VERDADES IDEOLÓGICAS.

INVADIR NUNCA SERÁ UM DIREITO POIS CADA POVO É O PRÓPRIO DIREITO

ENQUANTO NO OCIDENTE HOUVER NEGROS A GOVERNAR POLITICAMENTE OU ASIÁTICOS SOMBRA O MUNDO SERÁ UMA PANDEMIA GLOBAL

CADA UM TEM DIREITO AO SEU TEMPO, ESPAÇO, BENS PESSOAIS E CULTURAIS (NÃO AO QUE É NATURALMENTE DOS OUTROS), E APENAS OS DIREITOS INDIVIDUAIS E CULTURAIS NÃO PODEM SER EXPLORADOS FORA E DENTRO DE FRONTEIRAS.

Diz a Teoria de Tudo que “Tudo o que não é relativo não existe”.

Ora, numa invariabilidade inversa e relativa o transporte de uma encomenda faz-se do local onde está o produto para o local do comprador que a solicita. Assim, os migrantes são solicitados por barões negros instalados no poder político no ocidente, tal como antigamente se fazia o tráfico de escravos usando a bandeira, território e dinheiro do branco, e como esconderijo perfeito para indução da culpa ao branco e ao Ocidente (estas empre foi a astúcia já que todo o crime precisa de um aliby ou de uma forma de esconderijo perfeito, sobretudo no uso de funções políticas e públicas).

A forma do crime das máfias e especialmente dos asiáticos e dos negros sempre foi a justificação da imputação de culpa a outrém e os chavões, tais como “é racista”, é “facista”, etc. Porque os chavões servem para devirtual a autoria dos factos.

Esta é a Teoria de Tudo

Tão simples de saber mas tão dificil de chegar ao entendimento… “tudo o que não é relativo não pode existir“.

Na realidade certa tanto o povo preto como o branco e com o amarelo são vitimas da democracia e da separação de poderes (lavar as mãos de entidade em entidade), basta saber que os governos apenas precisam de uma parte da população para votar, excluindo naturalmente a parte perseguida e extorquida que aguenta a parte rica e arrogante. Mas é precisamente a parte que trouxe a pandemia que a vai sofrer mais. Ou seja, a perseguição e a pobreza são induzidas e da autoria de quem governa. Por outro lado a separação de poderes, à maneira de Pilatos, é a mesma coisa que deviara responsabilidade do crime, nomeadamente por abandono de funções ou atribuindo a responsabilidade a outrem ou ao Povo, porque o esquema da falsidade já que a falsidade oue stado sombra já está programado e daí que os falsos Presidentes dizem que os tribunais são independentes, embora se saiba que o Presidente da República é o representante do Povo e por isso a sua priuncipal função é ser o fiscalizador do Governo e de todas as instituições. Pois, de facto a separação de poderes é o regime mais criminosos de sempre até chegarem as sissomias, que só acabam depois de acabar a democracia e a separação de poderes.

Ora, na realidade certa, “tudo o que não é relativo não pode existir“, pois isso é transformar a naturalidade e a legitimidade em ideologias, ou seja, métodos políticos para criar a riqueza com a culpa para os pobres, daí que os pretos não podem governar na terra dos brancos e nem os brancos na terra dos pretos, porque a invivisibilidade é natural. Ora se a indivisibilidade é natural, lógicamente que os governantes pretos na terra dos brancos vão querer extinguir e perseguir os brancos, por intuição colectiva porque a cultura e o entendimento são divergentes e têm uma origem própria. Para eles tudo o que acontece é culpa do branco porque toda a pessoa humana se escode dos seus erros.

Contudo é mais legitimo o povo mais desenvolvido governar terra selvagem e não o contrário. Sempre que o branco abandona terra selvagem a guerra nunca tem fim.

Quanto ao racismo, aquele que se ofende por lhe chamarem preto ou é doente mental ou criminoso porque só o homem tolerante e desportivo entende que a discriminação é apenas uma forma de comunicação legítima e não tem força de crime pois tudo o que é real não é ofensa. Não é por acaso que todo o criminoso se ofende quando é descoberto ou quando lhe atribuem a culpa, evidentemente que o criminoso ilegal (que não actua por causas de exclusão da ilicitude) tem o crime como direito, assim como o homem bom tem a verdade (a realidade, a liberdade e a igualdade) como único direito.

As esquerdas, ou seja, quem actua contrariamente ao direito, tem o direito ao crime como inteligência natural, mas só quando não é ela quem é o atingido (são os narcisistas). Em toda a história da humanidade só os partidos de esquerda representam o tráfico e a guerra como autores, a questão é que os seus crimes descobrem-se apenas na altura das sissomias, como resulutado dos seus actos políticos, uma vez que têm pensamento curto.

O Chavão Racista

Aliás o racista não existe, o que existe é uma razão para uma raça não gostar da outra, seja da parte do branco e seja da parte do preto. O preto politico nunca fala com fundamentos de facto e de direito mas por verdades ideológicas e normas ideológicas, e só por chavões e ideias.

O preto nunca fala dos crimes cometidos por pretos, njomeadamente o trafico de droga no Mundo e porque razão se dedica tanto a isso.

Em Portugal o cartel colectivo da máfia negra não fala porque razão a familia Costa se distribui pela Ordem dos Advogados e pelos Tribunais. E nunca fala porque razão as autarquias Comunistas dos barões negros da familia Costa encomendam qreixas crimes contra os brancos e porque é que mandaram gasear a população através da alimentação, apartir de 1996 (prova: processos crime encomendados pela Câmara Municipal do Seixal, pagos a peso de ouros pela despesa pública do próprio município.

Os barões negros terroristas ou estado sombra são o cartel Costa/Santos/Silva africanos e os seus cúmplices e comparticipantes comunistas de outros países, nomeadamente instalados no governos e nas câmaras municipais, com apoio da rede de negros dos tribunais como magistrados impostores para serem a rectaguarda dos seus crimes nazis, e naturalmente em coligação política com os países de origem, e cuja intenção ou pelo menos o resultado é a captura de todos os postos de trabalho do branco e o seu afastamento com dinheiro, e no sentido da inactividade, para depois produzirem as leis de extermínio astuciosas “o caminho para”, quer por gazeamento na alimentação (daí a captura de todos os postos de trabalho na alimentação), impostos forjados, simulação de acidentes, simulação de erros, simulação de negligência, simulação de direitos para criar a estagnação e as filas aos brancos, em todas as actividades, em suma simulação de tudo.

Não é por acaso que a Presidência em Portugal é uma fantoche dos barões negros e assistidos em colectivo comunista ou agnóstico, que distribuiram o cartel Costa/Santos/SIlva pelos tribunais e advogados como rectaguarda. Na Margem-Sul junto a Lisboa, os barões negros mandaram gazear a população empresarial e associativa a partir da tomada do poder pelos Socialistas em 1996, depois de vários atentados contra outros partidos, que imediatamente eliminaram centenas de dirigentes e criaram milhares de entidades fictícias para captura da despesa pública e os apoios da União Europeia.

Uma das facetas dos comunistas é o financiamento do tráfico e a captura de entidades para criação paralela de um Estado Sombra ou paralelo, com verdades ideológicas e e a transformação das leis em normas ideológicas.

Todo o tráfico é financiado pela União Europeia Nazi, porque o Nazismo é uma entidade sombra que usa os outros e cria os conflitos entre amigos. Uma guerra é muitas vezes uma luta de equívocos induzida pelo inimigo sombra de ambos.

Portugal é igual ao Mundo, os barões negros comunistas, ligados à máfia chinesa e aos negócios nortecoreanos inseridos sob nacionalidade chinesa, trouxeram a droga como politica de extrerminio dos jovens, assim como usam os jovens atiradores nos EUA através de influência psicológica, depois da indução do primeiro crime, normalmente uma perseguição astuciosa.

Não é por acso que o Estado Português falsificou os Códigod Penal e de Processo Penal, normas sem sentido ou inconclusivas, e cujo objectivo é as máfias da função-pública poderem escolher quem é o arguido.

Portugal tem dezenas de magistrados inpostores escondidos sob a capa de fé-pública.

ARTIGO EM CRIAÇÃO…. SFF AGUARDE.

Partilhe a informação: POVO INFORMADO JAMAIS SERÁ ESCRAVIZADO.

Deixe uma resposta