Sexta-feira, Janeiro 27Bem-vindo

A INERTENIDADE

“TEORIA DA INVARIABILIDADE INVERSA E RELATIVA: As verdades ideológicas dos humanos”

O DILEMA ESPAÇO-TEMPO AINDA EXISTE?

É dificil definir “espaço” e “tempo”?
O tempo não existe?
Só o espaço é eterno?

Afinal o que é… E o que forma o tempo?
Não há fusão entre espaço e tempo?

O tempo é formado pela existência e espaço não é tempo?
Todas as coordenadas são infuênciadas apenas pelo tempo?

Excepto se o considerarmos como tudo o que existe (as coisas, os acontecimentos e a sua duração), o tempo é o paradoxo total em relação ao espaço. Nada viaja no tempo, seria negar a existência, tudo viaja apenas no espaço.

Não pode haver uma repetição do passado ou viajar para trás porque não faz sentido, mas é possível e lógico que possa existir uma nova vida no futuro a partir da experiencia cognitiva porque nada é indivisível sem antes se ter passado.

Tempo e espaço são as duas invariáveis fixas totalmente opostas no universo e não fundíveis, a primeira é única ou eterna e a segunda é uma invariável fixa para o homem e não para a criação. E as existências ou tempos podem ser auto-modificáveis ou produzidas, sendo pois as sub-invariáveis, porque nada é variável como coisa, excepto no tipo ou forma.

Na realidade certa, não por verdade ideológica, o tempo só não existe quando só existe espaço. A partir de um acontecimento no espaço passa então a haver um tempo. Se o espaço e o tempo fossem a mesma coisa não era necessário haver as duas, lógicamente. O espaço existe para a criação como aquilo que não existe ou vazio (ele de facto existe, não por que nós o vemos mas porque vemos as coisas, e entre o que existe e que vemos sabemos que está espaço, ou seja, aquilo que não tem ainda existencias e por isso é vazio). E o tempo é para o espaço as coisas ou criação, em suma as existências, porque só a partir destas é que pode haver tempos ou duração.

Repare ainda no seguinte, porque é que dois carros ao passar no mesmo espaço e ao mesmo tempo sofrem ambos um acidente?

Porque o mesmo vazio não pode conter duas coisas, independentemente do tempo em que elas apareçam porque um dos carros pode já la estar e o outro aparecer depois. Daí que aquele espaço é eterno excepto as coisas que por ele passam. E só o espaço é mesmo fixo, ou seja, eterno.

Concentre-se, repare que se não apenas o espaço fosse eterno, ou seja, se as existências fossem também eternas, tudo era existência, ou seja, não haveria espaços e tudo teria de ser inerte ou parado no espaço e no tempo. Portanto, isso prova que o espaço e o tempo são opostos. Destarte que o tempo são as existencias ou acontecimentos porque são limitados em duração (ponto).

De outra forma ou seria espaço ou nada se podia mover e se nada se move é a inertenidade.

Não há variáveis apenas invariáveis fixas, invariáveis e sub-invariáveis, pelo que nada se pode produzir que não tenha influência positiva ou negativa consoante o seu fim e tendo em conta o eventual prejuízo ou benefício para o tempo ou existencia e para o espaço ou vazio. É por isso que tudo deve ser bem estudado e testado antes de se colocar em prática (um bem, uma ideia ou uma política).

Tempo, as existências ou criação (todos os acontecimentos). É uma invariável fixa não-única. O que é físico e por isso o oposto do espaço.

Tempo como duração, é quanto dura uma existencia, um acontecimento ou uma distãncia.

Espaço, o que não existe ou vazio (o que é unicamente eterno, isto é, o que não é nada e nada tem, nem coisa, nem tamanho, nem forma, nem cor, nem cheiro e nem luz). É uma invariável fixa única ou exclusiva e por isso o oposto do espaço é o tempo. O espaço é a única grandeza que nunca muda, é a chamada eternidade.

Espaço de tempo ou da existência significa o espaço que sobra nos suportes das existências (os planetas). Ou seja, um planeta é a plataforma ou existencia maior que suporta outras existências. O resto é espaço no espaço.

Espaço no espaço significa tudo o que envolve o vazio em termos de existências, podem ser planetas e outras coisas e os seus acontecimentos.

Velocidade de tempo significa o valor de movimento do tempo no espaço. Velocidade da luz é pois a quantidade de espaço percorrido pelo tempo através de um meio de propulsão. Esse espaço percorrido é contado pelo relógio mas este não conta o tempo mas sim a duração do acontecimento, em suma ele conta o tempo como duração e não como existência, uma vez que estamos a falar do tempo como existência e essa existência é que tem uma duração e pode deslocar-se entre dois pontos consoante o tipo de propulsão que tiver, sendo o espaço mpercorrido entre dois pontos uma grandeza de duração e não o próprio tempo como realidade certa.

O que acontece é que como uma existencia é o tempo, tudo o que existe e os acontecimentos também são tempo (apenas há a fusão do tempo com os acontecimentos e nunca do espaço com o tempo) e daí que a deslocação de algo entre dois pontos, uma vez que é um acontecimento, também é medido como tempo. A altura de uma coisa ou a distãncia é medida em metros e a duração que levamos a medir ou a percorrer é medida em tempo, exactamente porque tudo o que exsite é tempo.

Uma fusão entre espaço e tempo seria eliminar ambos, o que é inexequível.

Prova:

As verdades ideológicas foram descobertas em 2004.

Uma das coisas que se aprende com a “Teoria da Invariabilidade Inversa e Relativa” é que “Tudo o que não é relativo não existe, excepto o espaço”, logo o tempo tem de ser algo relativo, ou seja, de algo em algo ou sequêncial (dependente de outra dependência e por isso sempre em mudança e imposível de controlar). Mas será que o espaço também é uma grandeza relativa?

De facto o espaço não é relativo porque se o fosse era tempo.

Para viajar no tempo seria preciso uma fusão entre espaço e tempo, o que seria inexequível uma vez que seria uma contradição com o próprio existir num determinado espaço. É que a existência é que forma a duração, aquilo a que podemos chamar “tempo de existência”. Ora, nenhum tempo se pode repetir ou viajar, isso seria negar o existir concreto e negar o espaço, sabendo que o espaço é o que não existe (não tem tempo e nem luz porque é o que nada contém).

Em suma, considerar que se pode viajar no tempo fora do presente é uma mera ideia.

Tudo começa com a criação do tempo como existencia e sendo esta que forma o tempo ou duração da existêcia ou do acontecimento.

O tempo está presente no quotidiano e em todas as coisas e áreas tão só através das existências ou criações, e pela natureza são invariáveis e pelo homem sub-invariáveis, porque não existem variáveis no universo. Só existindo passa a haver tempo em relação ao espaço, pelo que o tempo é a existencia e o espaço o seu oposto (o vazio ou o que não existe).

AS VERDADES IDEOLÓGICAS

Verdade ideológica é uma meia verdade ou infuência provocada por pensamentos limitados, o que normalmente se diz “sem fundamento relativo”. São teorias políticas e não politico-científicas.

Aliás todas as teorias politico-não-cientificas deviam ser proíbidas.

Exemplo de verdade ideológica: A terra é plana ou redonda?

A maioria ideológica responde: É redonda.

Na realidade certa até a pergunta é meramente ideológica porque não existe nada que não seja plano, porque tudo é plano como invariável já que todas as coisas ou superfícies têm partes a direito, a forma do objecto é que varia. Uma forma plana não significa que é uma bandeja, ou um quadrado ou algo disforme com superfície direita, mas sim que relativamente à superfície ela é direita e embora possa term alternâncias na sua generalidade ela é uma plataforma.

A resposta completa e correcta é. A terra é 100% plana porque é redonda (deixa de ser meia-verdade).

Seria impossível criar um planeta 100% plano que não fosse redondo, lógicamente, e para poder rodar sobre si mesmo….. Andaríamos todos aos tombos. Isso vem da experiencia cognitiva ou criação.

Não basta ser a verdade ideológicamente, é preciso explicar.

Conclusão:

O tempo e o espaço não existem excepto para a existência, coexistem, não são a mesma coisa e não se fundem. Ou seja, o tempo não existe como sentido exterior a uma existência e é por isso que era dificil descobrir o que era, porque o tempo são as existências, e estas é que passam no espaço que não tem tempo (é o infinito)… E ao passarem as existencias pelo espaço é que formam o tempo entre si mesmas e ao mesmo tempo formam o espaço.

Tempo, é tudo o que existe excepto o espaço, ou uma existência ou acontecimento que tem uma duração, e por isso não existe excepto “temorariamente” para si mesma mas em relação com outras, num determinado espaço e dentro de um lugar ou plataforma que também é uma existência, a existência suporte.

A duração de um tempo (existencia, acontecimento ou medida) não é a mesma coisa que tempo. É a medida de qualquer acontecimento usando as diversas subinvariáveis, como, por exemplo, a força da gravidade ou a propulsão em uma distância.

Espaço, é o que não existe ou vazio, a eternidade, onde se criam os suportes como existencia primária e as outras existências que os podem ocupar em relação ao espaço livre dentro desses suportes ou planetas e o espaço como vazio.

Também podemos considerar o espaço como uma existência ou tempo, só que isso não permite explicar a diferenças.

O espaço não é visível apernas nos apercebemos do espaço através de ver as coisas que nele estão e acontecimentos que acontecem.

Partilhe a informação: POVO INFORMADO JAMAIS SERÁ ESCRAVIZADO.

Deixe uma resposta