Sexta-feira, Janeiro 27Bem-vindo

Papa Francisco não é perfeito, daí a imbecilidade sobre as uniões civis do mesmo sexo. Omite fundamentação e cria sistema de escravatura colocando o cidadão a fazer reclamações para sempre.

Reflexão

Quem gosta de “merda” e não do sexo oposto só pode ser doente e o doente deve aceitar ser tratado.

Pela verdade justa a homossexualidade não é um direito mas uma estratégia política inimiga da humanidade, cuja finalidade é a perseguição da população branca pelo nazismo negro, em suma a eliminação da raça branca através de esquerdismo (fazer tudo ao contrário).

E na realidade certa cabe ao homosexual o dever de se esforçar e aceitar tratar-se e não de prejudicar todos os outros, tão só como doença do prazer sádico e facilitista. É como qualquer dever ou aprender algo na escola, umas vezes gostamos mas outras não, e nem por isso deixamos de ser pessoas e de ter os direitos da maioria como deveres.

Descrição

O Papa Francisco lançou uma bomba sobre os católicos em todo o mundo ao declarar publicamente pela primeira vez como pontífice que apoia as uniões civis do mesmo sexo.

Ora, pela verdade justa sabemos que tal declaração é imprudente, porque a deficiência deve ser tratara e o deficiente deve aceitar ser compreendido e tratado e não optar pelo facilitismo e muito menos pela influência psicológica dos nazis como meio de instabilidade social e uma sociedade de costas voltadas.

Por alguma razão os nazis ou homossexuais perseguiram os judeus e todos sabemos o que fizeram só porque os judeus são contra os anormais. Até a vestimenta dos nazis, por exemplo os bonés, são um símbolo das reuniões e dos bares onde se encontram para conspirar contra as outras pessoas, já que o homosexual será sempre um irresponsável e um potencial criminoso para além de ser apenas homosexual.

É claro que uma forma de vida tem de ser adoptada e onde há várias culturas não há cultura nenhuma, é uma sociedade tresmalhada. É claro que os homossexuais têm direitos, eles tem o direito de aceitar ser tratados porque assim é igual para todos os que estão doentes (princípio da igualdade em que o que sai fora da normalidade natural e da maioria real é doente se existirem os seus pressupostos tais como a promiscuidade ou porcalhice). E não podem haver reuniões específicas e nem bares só para “paneleiros” porque tal viola a Constituição, ou seja não pode haver discriminação e por isso eles não podem andar escondidos como elite até porque isso proporciona a criminalidade.

Sabemos e não negamos que quem nasce sem uma perna é deficiente físico e quem nasce irresponsável é deficiente mental.

Ora, repare que uma certa ideologia política acha que deve ganhar quem é a maioria, mas não a maioria real (os heterosexuals), mas sim a maioria manipulada ideologicamente como burra.

Assim, é mais do que certo que a homossexualidade é um deficiência mental, porque quem gosta de merda e não do sexo oposto como naturalidade e maioria real só pode ser doente e perigoso (peço perdão se estiver errado).

Por outro lado a união de facto é mais um dos esconderijos nazis, pode muito bem ser uma forma de esconder reunião política, usando a união de facto como capa e segurança.

Quem gosta de merda e não do sexo oposto só pode ser doente e o doente deve aceitar ser tratado. Até porque a união ou casamento é uma coisa e o prazer é outra, e os homossexuais visam o prazer e não a união responsável, de outro modo só os outros é que fazem sacrifícios e todas as pessoas teriam o direito de se unir ou de casar de duas maneiras.

Além do mais deve haver zonas geográficas ou territórios só para homossexuais e criminosos e outras zonas para as outras pessoas por liberdade de escolha, porque se há direitos então maior direito é não ser obrigado a viver no meio de quem não gostamos.

Partilhe a informação: POVO INFORMADO JAMAIS SERÁ ESCRAVIZADO.

Deixe uma resposta