Domingo, Dezembro 4Bem-vindo

No Banco de Portugal algo se move por corrupção entre a dinastia ou ditadura Costa, Santos, Silva.
Omite fundamentação e cria sistema de escravatura colocando o cidadão a fazer reclamações para sempre.

Veja como o Banco de Portugal persegue a população devido à sua falsa constituição, falsa bandeira, falso parlamento, falso presidente e governo falso.

Numa reclamação legitima simplesmente a ditadura Costa, Santos, Silva responde sem fundamentação legal, violando os artigos 3.º a 13.º, 60.º, 151.º, 152.º e 153.º, todos so Código de Processo Administrativo (DL 4/2015, de 7 de Janeiro.).

Ou seja, o BP dá-se ao luxo de, perante uma reclamação com factos justificáveis, simplesmente dizer “o Banco de Portugal não encontrou indícios de infracção por parte da entidade reclamada”.

Ora, ao omitir a fundamentação exigida pela lei que devia explicar como é que legalmente a reclamação é infundada ou os factos praticados contra o cidadão pelo OneyBank são legais é porque há má-fé. Portanto sem apresentar os termos da reclamação e comparados com as normas legais aplicável quer dizer que se trata de conteúdo falso, porque o documento não certifica aquilo a que se destina. Em suma Portugal é ditadura de falsificação, corrupção e escravatura a partir da elite governativa e administrativa dedicada aliás aos barões negros da escravatura.

Por outro lado ainda convida o reclamante a fazer mais queixas ou reclamações, notoriamente como meio de gozar com a vida da pessoa perseguida pelo regime nazi, como se o cidadão não tivesse mais nada que fazer.

Naturalmente que este abuso, aqui provado, é claramente o indício de corrupção com as empresas queixosas, que usam astuciosamente o Banco de Portugal para o crime de coação sobre os cidadãos perseguidos, através da falsidade e má-fé.

Documento falso: Oficio do Banco de Portugal.

oficio_banco-de-portugal

Partilhe a informação: POVO INFORMADO JAMAIS SERÁ ESCRAVIZADO.

Deixe uma resposta